2 comentários:
De Anónimo a 2 de Janeiro de 2007 às 14:45
Ainda bem que volta meia volta alguém se lembra de escrever mais ou menos o que eu penso, já que eu não me dou ao trabalho! :)
Gostei sobretudo das damas tortulhudas! :) E da mesa Octogonal!
Ana Martins


De Tânia a 4 de Janeiro de 2007 às 01:28
caro amigo alfredo
tenho alguns "mas" acerca de sermos deixados a enrolar o nosso próprio novelo.
vou então explicar-me: o organismo não nasce individuo no sentido de que possui uma identidade própria, a qual vai adquirindo com o passar do tempo e consequente desenvolvimento social e motor.
ora aí, ele toma os já formados individuos como modelos na construçao da sua personalidade. os amigos lá estão para indicar com a sua "experiência" qual talvez deve ser o melhor caminho a tomar.
o individuo em formação comete erros ou por sua livre iniciativa ou porque os conselhos não foram exactamente os mais ajustados mas, da próxima vez não os comete (já não os pede às mesmas pessoas!).
afinal de contas, cada um de nós ainda é dotado de um "crivo" capaz de peneirar o que lhe interessa.
mas como nem de todos podemos ser amigos, ora aí está uma boa de uma definição!


Comentar post