1 comentário:
De Ana Pina a 28 de Novembro de 2006 às 18:18
Caro amigo

Percebo o teu ponto de vista, mas permito-me acrescentar um factor à tua análise que, na minha opinião, foi neglegenciado na tua exposição.

Aquando da apresentação das mudanças de vida, referiste os "factores externos".
Gostaria de clarificar este conceito como sendo todos os factores alheios ao livre arbítrio do indivíduo, sejam eles internos ou externos ao mesmo.

Pude reparar que estes factores desaparecem da tua análise acerca das alterações internas que operam no indivíduo nos diferentes processos da mudança, ou se quisermos falar de conceitos psicológicos, do luto.

Concordo contigo quando dizes que a personalidade e, a nível do consciente, as estratégias de tomada de decisão, têm influência na adaptação à mudança.

Mas, na minha opinião, faltam aí os benditos/malditos "factores externos". Esses mesmos que, inesperadamente para o indíviduo e não dando oportunidade aos estilos de decisão para se mostrarem, exigem ao sujeito uma resposta efectiva e que, em determinadas situações, são capazes de alterar todo o curso de acontecimentos previstos pelo indivíduo.

"...E o futuro é uma astronave, que tentamos pilotar
Não tem tempo, nem piedade, nem tem hora de chegar
Sem pedir licença, muda a nossa vida
E depois convida
A rir ou chorar

Nessa estrada não nos cabe
Conhecer ou ver o que virá
O fim dela ninguém sabe
Bem ao certo onde vai dar
Vamos todos numa linda passarela,
De uma aquarela
Que um dia enfim....
Se descolorirá"

Vinicius de Moraes

Aqui fica um pequeno contributo, em jeito de brincadeira, mas muito a sério......

Ana Pina

21 de julho 22:08

(landofutopia.spaces.live.com a 21/06/06)


Comentar post